Seguidores

quarta-feira, 29 de abril de 2015

NUNO LOBITO – O Caminho Faz-se a Andar

Autografo de Nuno Lobito.



“De nada serve sonhar se não caminharmos, por isso… O Caminho Faz-se a Andar”

A história de um homem invulgar que, em busca de um sonho, visitou todos os países do mundo!


Do fotógrafo Nuno Lobito diz-se ser um dos portugueses mais viajados. Correu mundo, visitou todos os países reconhecidos pelas Nações Unidas e mais onze que não o são. O Caminho Faz-se a Andar é o seu quarto livro, onde fala precisamente desta experiência que é ter estado pelos quatro cantos do globo. Muita aventura se encontrará encerrada nas páginas deste volume. São quase três décadas a palmilhar terras desconhecidas, perigos corridos, emoções sentidas, lições aprendidas.
Por fim, concretizou-se um sonho antigo. Conforme declarou ao Público, num artigo de 2012, quando era criança decidiu que um dia havia de visitar todos os países. E conseguiu-o no dia em que chegou à Islândia.
A obra é mais do que uma crónica de viagens, é uma auto-biografia, apesar de no caso de uma pessoa que vive para fotografar e viajar os limites se tornem ténues.








Cedo percebi que não queria deixar que a vida, simplesmente, acontecesse: queria fazer parte dela. Deixei a zona de conforto onde, frequentemente, nos instalamos e saí por esse mundo. Viajei para conhecer o mundo e registá-lo para dar a conhecer aquilo que, raramente, vemos: a verdadeira essência do ser humano. Viajei por muito, pouco, ou algum tempo; demorei-me onde sentia em casa.
“O Caminho faz-se a Andar”, é uma história de vida.

É desta forma que o fotógrafo e viajante Nuno Lobito nos apresenta o seu livro, uma autobiografia de 30 anos de mundo e de viagens.




segunda-feira, 27 de abril de 2015

PEDRO CHAGAS FREITAS


Uma conversa bastante agradável e descontraída sobre livros e literatura com o escritor Pedro Chagas Freitas na Livraria Bertrand em Setúbal, enquanto o escritor autografava o livro da sua autoria “Prometo Falhar”.
As fotografias foram tiradas pela minha filha Nádia com o seu telemóvel.



Pedro Chagas Freitas escreve cenas variadas. Romances, novelas, contos, crónicas, guiões, letras de música, textos publicitários e outras imbecilidades. Publicou mais de duas dezenas de obras. Está na lista dos mais vendidos de 2014 em Portugal. Estudou linguística e criou jogos didácticos para estimular a produção escrita. Foi nadador-salvador, barman, operário fabril, porteiro de discoteca, jogador de futebol. Acredita que o país perfeito é a Lamechalândia. E vive por lá todos os dias.
http://www.pedrochagasfreitas.com/bio/

Livros Publicados

Prometo Falhar
In Sexus Veritas
Ou é Tudo Ou Não Vale Nada
Eu Sou Deus


quinta-feira, 23 de abril de 2015

Dia Mundial do Livro

San Juan de la Cruz


Estátua em bronze de San Juan de la Cruz numa praça no centro histórico de Ávila em Espanha.

San Juan de la Cruz padroeiro dos poetas de língua espanhola.


San Juan de la Cruz ou São João da Cruz, foi uma figura espanhola da espiritualidade cristã, nascido em 1542 em Fontiveros perto de Ávila e falecido em 1591, consagrou-se, com Santa Teresa d'Ávila, à formação dos Carmelitas Descalços e à direcção espiritual de religiosos seculares. Os seus princípios reformadores levaram-no à prisão e é nesse período que escreve os seus primeiros versos. Canonizado em 1726, foi declarado doutor dada Igreja em 1926.

Igreja em 1926.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

LIVROS VIII - Livraria A das Artes


“Fernando Pessoa e os seus heterónimos” numa sessão de leitura na livraria A das Artes em Sines, mais um serão literário memorável.
http://adasartes.blogspot.pt/

AUTOPSICOGRAFIA

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas da roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.

Fernando Pessoa

segunda-feira, 13 de abril de 2015

WENCESLAU DE MORAES

Aproveitei os dias fantásticos que tem feito para fazer uma visita, que já estava projectada à muito tempo, à casa onde nasceu um dos meus escritores de referência e culto, Wenceslau de Moraes, na Travessa Cruz do Torel nº 4 no 2º andar na cidade de Lisboa. Foi dificílimo dar com esta morada pois ninguém a conhecia, nem mesmo os taxistas da cidade, tive de me socorrer do Google mapas para lá chegar.
Painel de azulejo colocado sobre a porta do prédio onde nasceu Wenceslau de Moraes. Uma homenagem do Rotary Club de Lisboa. 

Wenceslau de Moraes


Oficial da marinha de guerra português, Wenceslau José de Sousa Moraes nasceu a 30 de Maio de 1854, em Lisboa, e faleceu a 1 de Julho de 1929, no Japão. Em 1873 terminou o curso preparatório da Marinha na Escola Naval de Lisboa. Realizou numerosas viagens; permaneceu dez anos em Moçambique e cinco anos na China; exerceu as funções de imediato do capitão do porto de Macau, território onde foi também professor de Matemática e teve a oportunidade de conhecer Camilo Pessanha; foi oficial da Armada e cônsul de Portugal no Japão, país cuja cultura absorveu. 
Dedicando-se às Letras, e tendo convivido com Camilo Pessanha, a sua obra constitui um modelo da sedução pela cultura oriental na literatura finissecular. Autor que tem tido ampla divulgação no Japão, merecendo um reconhecimento que, entre outras iniciativas, é atestado pela fundação de um Museu Wenceslau de Moraes e pela edificação de dois monumentos em sua homenagem em duas das cidades onde permaneceu, Tokushima e Kobe. Fascinado pela vida e cultura nipónicas, a sua obra, integrando em grande parte o género de literatura de viagens, apresenta a estética de um escritor que vê no solo nipónico ("nimbo de uma aurora, na sua plena apotheose de paiz privilegiado.") um reverso idealizado da civilização ocidental, passando para uma prosa refinada e impressiva a descoberta apaixonada da vida oriental.
Em Portugal, Wenceslau de Moraes foi alvo de uma homenagem, tendo-se comemorado os 150 anos do seu nascimento em 2004 e publicado o volume Permanência e Errâncias no Japão - uma compilação de postais ilustrados que fazem parte da correspondência mantida por Wenceslau de Moraes com a sua irmã Francisca.

Texto: infopedia.pt





Trabalho

Durante sua vida

  • 1895 - Traços do Extremo Oriente Siam, China, Japão
  • 1897 - Dai-Nippon
  • 1904 - Cartas do Japão. Antes da guerra, 1902-1904
  • 1905 - Um ano de guerra, 1904-1905
  • 1905 - Os serões no Japão
  • 1905 - O culto do Chá
  • 1906 - Paisagens da China e do Japão
  • 1906 - em O 'Bon-Odori' Tokushima. Caderno de Impressões Íntimas
  • 1907 - A vida japonesa
  • 1917 - Ko-Haru
  • 1918 - O-Yone Será, será ... Ko-Haru ...?
  • 1919 - O tiro do meio-dia
  • 1920 - Fernão Mendes Pinto nenhum Japão
  • 1923 - Ó e-Ko-Haru Yone
  • 1924 - Recuperação da História do Japão
  • 1925 - A recuperação da alma japonesa
  • 1926 - No. serões Japão

Restos Literários

  • 1933 - Osoroshi
  • 1933 - Recuperação da História do Japão
  • 1944 - Cartas Íntimas
  • 1954 - Páginas Africanas
  • 1961 - Cartas a Policarpo de Azevedo

Bibliografias / Biografias

  • 1935 - Wenceslau de Moraesu por Yumoto, Jiro
  • 1937 - Os amores Wenceslau de Moraes por César, Oldemiro e Pereira, Ângelo
  • 1990 - A chinesa paixão de Wenceslau de Moraes em Barreiros, Leopoldo Danilo
  • Wenceslau de Moraes também publicou dois livros sob os pseudónimos de "A. da Silva" e "Ernesto de Azevedo."
  • 2005 - Wenceslau de Moraes. Permanências e Errâncias no Japão / Textos e legendas Daniel Pires. - Lisboa: Fundação Oriente.
     
  • Alguns dos meus livros de Wenceslau de Moraes.


terça-feira, 7 de abril de 2015

LIVROS VII - Livraria A das Artes

De cabeça perdida na livraria A das Artes, e não é para menos.
http://adasartes.blogspot.pt/


Há tantos livros, mas há tão pouco tempo.
Frank Zappa


Eu sempre imaginei que o paraíso deve ser algum tipo de biblioteca.
Jorge Luis Borges

quarta-feira, 1 de abril de 2015

FEIRA DO LIVRO SETÚBAL 2015



Durante um mês e pelo sexto ano decorre a Feira do Livro de Setúbal. A Página a Página – Divulgação do Livro, em colaboração com as editoras e numa parceria com a Câmara Municipal de Setúbal, promove esta iniciativa, na placa central da Avenida Luísa Todi, com milhares de títulos de várias editoras, do romance ao livro técnico, passando pela literatura infanto-juvenil.

O evento, realiza-se de 27 de Março a 26 de Abril, além de novidades e preços convidativos em todos os títulos, alguns vendidos a 1 euro, aposta na promoção da leitura e no diálogo entre escritores e leitores, incluindo sessões de autógrafos e animações para crianças.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...